terça-feira, 27 de março de 2012

ATIVIDADES DE LINGUA PORTUGUESA. ( NARRAÇÃO, DESCRIÇÃO E DISSERTAÇÃO )

ESCOLA CORNELIO SOARES. ENSINO FUNDAMENTAL E MEDIO.


ALUNO (A):_______________________

PROFESSORA: RITA JUSSARA



LÍNGUA PORTUGUESA -1ºEME



(PUCCAMP) – Leia com atenção.


Dona Casemira vivia sozinha com seu

cachorrinho. Era um cachorrinho preto e branco que Dona Casemira encontrara na rua um dia e levara para casa, para acompanhála na sua velhice. Pobre da Dona Casemira.

Dona Casemira acordava de manhã e chamava:

– Dudu!

O cachorrinho, que dormia na área de serviço do apartamento, levantava a cabeça.

– Vem, Dudu!

O cachorrinho não ia. Dona Casemira preparava a comida do cachorrinho e levava até ele.

– Está com fome, Dudu?

Dona Casemira botava o prato de comidana frente do cachorrinho.

– Come tudo, viu, Dudu?

Dona Casemira passava o dia inteiro falando com Dudu.

– Que dia feio, hein, Dudu?

– Vamos ver nossa novela, Dudu?

– Vamos dar uma volta, Dudu?

Dona Casemira e seu cachorrinho viveram juntos durante sete, oito anos. Até que Dona Casemira morreu. E no velório de Dona Casemira, lá estava o cachorrinho sentado num canto, com o olhar parado. A certa altura do velório o cachorrinho suspirou e disse:

– Pobre da Dona Casemira...

Os parentes e amigos se entreolharam.

Quem dissera aquilo?

Não havia dúvida. Tinha sido o cachorro.

– O que... o que foi que você disse? – perguntou um neto mais decidido, enquanto os outros recuavam, espantados.

– Pobre da Dona Casemira – repetiu o cachorro. – De certa maneira, me sinto um pouco culpado...

– Culpado por quê?

– Por nunca ter respondido às perguntas dela. (...) Agora é tarde.

A sensação foi enorme. Um cachorro falando! Chamem a TV!

– E por que – perguntou o neto mais decidido – você nunca respondeu?

– É que eu sempre interpretei como sendo perguntas retóricas...

(VERISSIMO, Luis Fernando. O Analista de Bagé.Porto Alegre, L&PM Editores, 1981, pp.47-48.)


1_O narrador desse texto:



a) permanece isento em relação ao fatos

narrados, jamais os comentando ou neles

interferindo.

b) dá nome, a certa altura, ao sentimento que

experimentava diante da vida da protagonista.

c) indica não ser indiferente à solidão em que

vivia Dona Casemira.

d) é onisciente em relação a Dudu, mas não o

é em relação à dona do cachorro.

e) participa discretamente da ação narrada, sem o que não seria possível desenvolvê-la.



2. Retire um exemplo de trecho descritivo no texto.

3.Leia os períodos abaixo e classifique-os como narrativos, descritivos ou dissertativos.

a) A violência sexual contra crianças e adolescentes acontecem em todo o mundo e têm mobilizado diversos segmentos sociais, no sentido de se pensar formas de enfrentamento desta cruel forma de violação de direitos.________________

b) O garoto agradeceu, desembrulhou a bola e disse “Legal!”. Ou o que os garotos dizem hoje em dia quando gostam do presente ou não querem magoar o velho.___________________________

c) Os olhos do meu amado trazem a cor da esperança. Em meio ao verde dos olhos do meu amado me perco. A maciez da pele do meu amado é como o toque das flores.

_________________________________

4. Produza um texto narrativo ou dissertativo sobre o tema:

“O trabalho infantil na sociedade brasileira”

Obs.: Mínimo quinze linhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário